Expositores da 11ª Febrac oferecem soluções criativas para otimizar processo produtivo

Segundo dia de feira contou com palestras sobre inovação em processos

IMG_1600

Crédito: Chrystiam de Lima.

 

A 11ª Febrac oferece aos industriais do polo calçadista de Nova Serrana a oportunidade de melhorar seus processos produtivos. Durante o dia 30, segundo dia da feira, os estandes continuaram apresentando novidades em tecnologias para a produção de calçados. Não é a primeira vez que o empresário Ademar Silva, sócio-proprietário da Lynd, visita a Febrac. Ele acredita que a feira contribui muito para os negócios. “É muito importante para a minha empresa participar, pois é a oportunidade de conhecer novas tecnologias e estar atualizada. A feira também nos apresenta novos fornecedores e novas possibilidades”, garante. Ari, Santos, proprietário da Injetora Bianca Santos, concorda com Silva. “A feira está bem completa e acredito que ajudará bastante na produção. Com as novidades em máquinas e matérias-primas, consigo oferecer aos meus clientes produtos cada vez melhores”, afirma.

Por falar em novidades, o que mais se encontra na 11ª Febrac são soluções criativas. A Damil Têxtil, de Franca/SP, expõe novidades que otimizam o processo produtivo. “Além dos produtos convencionais, estamos trazendo algumas novidades, como o cabedal em tricô, que simplifica o processo e reduz custos”, explica Danilo Encinas, proprietário da empresa. O proprietário da gaúcha WO Máquinas, Sandro Luis da Silva, aproveitou a oportunidade de expor na feira para trazer novas máquinas para produção de calçados esportivos. “Como desenvolvemos uma nova linha de máquinas específica para a produção de calçados esportivos no ano passado, estamos aqui para divulgá-los. Viemos com uma expectativa muito grande e a feira está sendo bem produtiva”, ressalta.

Além de reunir fornecedores e fabricantes de calçados, a 11ª Febrac oferece novas experiências aos os participantes. A gerente de vendas da Metalvale, Carolina Haddad, está expondo seus itens em metal na Febrac pela primeira vez e também trouxe para a feira soluções de acordo com as necessidades das indústrias locais. “Estamos no mercado local há pouco mais de um ano e, nesse período, aprendemos muito com as empresas. A Febrac nos possibilitou trazer produtos que tenham a ver com a proposta dos clientes daqui”, argumenta Haddad. Jefferson Souza, supervisor de montagem da Massey Calçados, trabalha há dez anos no setor calçadista e visita a feira pela primeira vez. Ele espera que, com a visita, possa propor à empresa soluções que colaborem com a produtividade. “Espero encontrar novidades em produtos que facilitem e melhorem a produção da fábrica em que trabalho”, conta Souza.

 

Inovação em processos
Duas palestras foram realizadas durante o segundo dia da 11ª Febrac, voltadas às diferentes formas de inovação em processos produtivos. As startups participantes do programa FIEMG Lab realizaram pits de debates para apresentar suas propostas. As soluções apresentadas foram o KCollector, aplicativo que transforma o celular em um coletor de dados e reduz custos, trazendo novas tecnologias e funções com fácil utilização; o Newatt, um dispositivo que coleta dados de energia e emite relatórios com para auxiliar no gerenciamento e redução do consumo; e a Indwise, solução completa de gestão da produtividade do chão de fábrica. Ela ajuda gestores de linhas de produção a reduzirem desperdícios produtivos e a melhorarem sua produtividade.

Palestra

Uma das startups apresentadas foi o Newatt, um dispositivo que coleta dados de energia e emite relatórios com para auxiliar no gerenciamento e redução do consumo. Crédito: Alan Cheib.

A segunda palestra do dia foi um encontro tecnológico das empresas Evonik e Quantiq. Realizado pela Associação Brasileira de Teconlogia da Borracha (ABTB) o tema “Sílica precipitada e silanos para melhora de propriedades em borracha” foi abordado pelo palestrante Felipe Rocha, químico e coordenador de negócios na Evonik Degussa. Rocha abordou e debateu com os presentes a sílica precipitada convencional, sílica de alta dispersão e o processo de silanização.

 

Fábrica modelo
Além de conhecer o que há de melhor em máquinas e componentes para calçados, quem visita a 11ª Febrac pode, ainda, assistir à uma linha de produção em tempo real. A fábrica modelo, trazida pela empresas Isa Tecnologia e Grupo Sazi, funciona durante todo o período da feira. As máquinas do espaço têm capacidade de produzir mais de 500 mil pares por dia, utilizando tecnologia nacional que reduz custos e melhora a qualidade do produto. “O processo produtivo de calçados é o mesmo há 40 anos. Estamos aqui para mostrar, através da fábrica modelo, que é possível fazer um trabalho diferenciado, com redução de custos e melhoria na qualidade”, informa o gerente de desenvolvimento da Isa Tecnologia, Silvano Souza.

IMG_1481

A fábrica modelo da 11ª Febrac é operada por alunos do SENAI de Nova Serrana. Crédito: Chrystiam de Lima.

Para operar as máquinas e montar os calçados, a parceria com o SENAI de Nova Serrana foi fundamental. Os alunos do curso de montagem de calçados atuam na linha de produção da fábrica modelo e, com isso, conciliam teoria à prática. “Os alunos podem colocar no currículo que participaram de uma fábrica modelo em uma feira de máquinas, o que o valorizará no mercado de trabalho. Em segundo lugar vem a experiência e o aprendizado através do contato com essas novas tecnologias, que ainda não estão disponíveis em nossa unidade”, explica Sidnei de Brito, supervisor técnico do SENAI de Nova Serrana. A fábrica modelo encontra-se na avenida C, estande 46. Toda a produção do espaço será doada a instituições filantrópicas de Nova Serrana.

Todas as formas de inovação apresentadas na 11ª Febrac favorecem o crescimento das indústrias. “Aqui elas conseguem ter acesso mais fácil tanto às novidades em matérias-primas quanto para a atualização de seu maquinário. O acesso à inovação e às novas tecnologias para produção de calçados é direto e facilitado. Não me restam dúvidas: mesmo sendo realizada a cada dois anos, a Febrac é uma feira fundamental para que as fábricas se desenvolvam”, finalizou Marcelo Caires, secretário municipal de Indústria e Comércio de Nova Serrana. A 11ª vai até hoje, 31 de agosto, das 14 às 20 horas no Centro de Convenções de Nova Serrana. Aberta a profissionais do setor calçadista, é realizada pelo Sindinova e conta com o apoio do Sistema FIEMG, SEBRAE/MG e Prefeitura Municipal de Nova Serrana.

 

Antônio Azevedo
Assessoria de Comunicação | Sindinova
(37) 3228-8500 | comunicacao@sindinova.com.br